Praga

Como já disse várias vezes é a minha segunda cidade. Mas é assustador a quantidade de turistas que invadem esta cidade. Já temos este fenómeno em Lisboa, mas aqui muito maior o número de outros povos que invadem a cidade.

Mas continua a ser uma cidade encantadora, de conto de fadas e do Rei Carlos.

O Castelo
A Catedral S. Vitos
A arquitetura – grafiti
Os pináculos
Os jardins
O rio Vtalva
O Teatro Nacional, ao longe
A ponte Carlos ao fundo
O Rei Carlos
Ao anoitecer

O País das Fadas 1

A Boémia foi, para mim, sempre um reino de príncipes e princesas. Mais tarde, conforme o conhecimento ia crescendo, de lindos cristais e cerveja.

No entanto o que prevaleceu foram os príncipes e princesas, talvez fruto das inúmeras histórias que li em pequena.

Até que conheci o meu príncipe.

E finalmente viajei pelas terras da Bohemia.

O ano passado visitamos Národní Park České Švýcarsko, em checo. Em português Parque Nacional da Boémia Suiça que fica a Noroeste de Praga, as uns 200 e poucos km.

Chama-se Boémia Suiça porque, contaram-me uns, no passado iam à Suiça buscar madeireiros para cortar as árvores e estas gentes acabaram por criar uma comunidade.

Chama-se assim, contaram-me outros, porque uns artistas suíços do século XVIII acharam esta região, da República Checa, muito parecida com a Suíça.

Para mim é o País das Fadas.

As casas de madeira! Só existiam, até então, nos contos que eu lia em pequena, como já disse.

A paisagem! A comida e as gentes ultra simpáticas que é, por agora, uma raridade entre as gentes checas.

Este Parque é totalmente coberto por florestas, mas são as formações geológicas as principais atrações do Parque , seguidas pela diversidade de animais e plantas. Uma natureza deslumbrante, canyons, torres gigantescas de arenito, riachos e miradouros. Isso sem falar nas vilas encantadas como Hřensko nas margens do rio Elba.


 Pravčická Brána  – o maior arco de arenito da Europa, Já foi cenário do filme Crónicas de Nárnia
 Pravčická Brána  – Em 1981 o Príncipe
Edmund of Clary-Aldringen construíu o hotel
Sokolí hnízdo (o ninho do falcão)

Como sempre, através do Booking.com, encontrámos Garden Hotel Mezná, no meio da floresta. Preços acessíveis e muito bem localizado e partir daí, a pé, barco de autocarro explorámos o Parque.

Jantámos na Penzion na vyhlídce, onde se podia dormir também, como o nome indica. Comida excelente e pessoal super simpático

Lagoa Pequena – Sesimbra

O espaço Interpretativo da Lagoa Pequena, situado perto da Lagoa de Albufeira, e pertíssimo de Lisboa, é um local fantástico para observação de aves.

Está aberto todos os dias e para quem gosta muito de observar aves, no terceiro sábado, de cada mês, abre à 7:00 horas. Merece a pena, porque é uma altura do dia que ainda há pouca gente por lá e não há barulho. Só o clique das câmaras.

Eu ainda sou muito amadora e tenho muito que aprender para conseguir boas fotos destes animais. É preciso treinar muito

Corvos marinhos a preguiçar

Alentejo

Barragem do Alqueva, como um navio

Apercebi-me de repente que não escrevo no meu blogue há seis meses! Dizem os peritos, nestas matérias, que não se deve estar tanto tempo sem se “alimentar” as páginas de um blogue, porque os Seguidores desinteressam-se.

Assim como assim, não tenho tantos Seguidores como assim, e os que tenho certamente  compreenderão que o tempo é terrível, quando não se tem.

Mas tenho pena. Gostava de poder ter sempre tempo para publicar as minhas fotos e partilhar os meus pensamentos.

Mas o que lá vai, lá vai, como diz a canção.

Falemos do Alentejo.

O nosso profundo e maravilhoso Alentejo.

A seguir ao Natal fomos passar os dias até ao fim do ano na Amieira. Alugámos uma casinha no empreendimento Aldeia do Lago, imperdível, e lá fomos nós, com um tempo excecional.

Visitámos o que parece agora se chama Alentejo central. Peço desculpa pela minha ignorância, mas só me lembro do Alto e Baixo Alentejo, mas parece-me bem.

Estremoz, Reguengos, Vila Viçosa, Mourão, Portel e a Barragem do Alqueva e muitas mais aldeias maravilhosas. Conservadas, genuínas. Soberba gastronomia! Engordei três quilos!

E prova de vinhos, por todo o lado! Nós visitámos a Ervideira e o Esporão. Adorámos a prova de vinhos na Ervideira, e os vinhos. Toscânia para quê?!

É o paraíso na terra! Acreditem.0802-2019-0437990142778172380970.jpeg

0802-2019-0404611142804792377489.jpeg Barragem do Alqueva

0802-2019-0456610142796791786264.jpeg0802-2019-0451599142791781197652.jpeg0802-2019-0403165142803347178298.jpeg

0802-2019-0407632142807813782602.jpeg Estremoz

Aldeia da Luz…a Aldeia perdida…

Little Big Horn – Montana

Neste local que é considerado Momumento Nacional, foi travada uma batalha em junho de 1876 entre o exército americano, chefiado pelo Tenente George Custer e as tribos Sioux, Cheyenne, e outra tribos, comandadas por Sitting Bull e o jovem Crazy Horse.

“…local de reflexão”

Para quem gosta destas matérias históricas, estreou agora o filme “woman walks ahead” que aborda o que eu escrevi nesta página.

As minha viagens aos Parques Nacionais nos EUA – 2013 – Little Big Horn – Montana