O País das Fadas 1

A Boémia foi, para mim, sempre um reino de príncipes e princesas. Mais tarde, conforme o conhecimento ia crescendo, de lindos cristais e cerveja.

No entanto o que prevaleceu foram os príncipes e princesas, talvez fruto das inúmeras histórias que li em pequena.

Até que conheci o meu príncipe.

E finalmente viajei pelas terras da Bohemia.

O ano passado visitamos Národní Park České Švýcarsko, em checo. Em português Parque Nacional da Boémia Suiça que fica a Noroeste de Praga, as uns 200 e poucos km.

Chama-se Boémia Suiça porque, contaram-me uns, no passado iam à Suiça buscar madeireiros para cortar as árvores e estas gentes acabaram por criar uma comunidade.

Chama-se assim, contaram-me outros, porque uns artistas suíços do século XVIII acharam esta região, da República Checa, muito parecida com a Suíça.

Para mim é o País das Fadas.

As casas de madeira! Só existiam, até então, nos contos que eu lia em pequena, como já disse.

A paisagem! A comida e as gentes ultra simpáticas que é, por agora, uma raridade entre as gentes checas.

Este Parque é totalmente coberto por florestas, mas são as formações geológicas as principais atrações do Parque , seguidas pela diversidade de animais e plantas. Uma natureza deslumbrante, canyons, torres gigantescas de arenito, riachos e miradouros. Isso sem falar nas vilas encantadas como Hřensko nas margens do rio Elba.


 Pravčická Brána  – o maior arco de arenito da Europa, Já foi cenário do filme Crónicas de Nárnia
 Pravčická Brána  – Em 1981 o Príncipe
Edmund of Clary-Aldringen construíu o hotel
Sokolí hnízdo (o ninho do falcão)

Como sempre, através do Booking.com, encontrámos Garden Hotel Mezná, no meio da floresta. Preços acessíveis e muito bem localizado e partir daí, a pé, barco de autocarro explorámos o Parque.

Jantámos na Penzion na vyhlídce, onde se podia dormir também, como o nome indica. Comida excelente e pessoal super simpático

Lagoa Pequena – Sesimbra

O espaço Interpretativo da Lagoa Pequena, situado perto da Lagoa de Albufeira, e pertíssimo de Lisboa, é um local fantástico para observação de aves.

Está aberto todos os dias e para quem gosta muito de observar aves, no terceiro sábado, de cada mês, abre à 7:00 horas. Merece a pena, porque é uma altura do dia que ainda há pouca gente por lá e não há barulho. Só o clique das câmaras.

Eu ainda sou muito amadora e tenho muito que aprender para conseguir boas fotos destes animais. É preciso treinar muito

Corvos marinhos a preguiçar

Escapadelas – Paris –

We will always have Paris frase famosa de Humphrey Bogart (Rick)para Ingrid Bergman (IIsa), no filme Casablanca.

Não sei se teremos sempre Paris, ou se Paris está lá para sempre para nós. É uma cidade!

Já não ia a Paris há cerca de 20 anos. Com tanta coisa para  se ver e para onde se viajar , foi ficando para trás.

Houve agora essa oportunidade.

Adoro a cidade, adoro o movimento, as gentes, as luzes, os monumentos, a comida, as sobremesas….

Apesar de ser uma cidade super vigiada, vê-se militares em grupos de quatro por todo lado, com as suas metralhadoras, bem como policias, os Parisienses fazem a sua vida normalmente. Acabamos por nos lembrar da ameaça que paira sob a cidade, por vermos estes contigentes de segurança.

Foram cinco dias a passear e a sentir a cidade e a observar os museus por fora. Foi a nossa opção para os poucos dias que tínhamos. No entanto, não pudemos deixar de visitar a exposição sobre Gaugin no Grand Palais. Uma exposição única, onde temos a possibilidade de conhecer este artista, como nunca e não sei, se teremos alguma vez mais esta oportunidade. Pintor, escultor e ceramista. A exposição está patente até 22 de janeiro de 2018. A não perder!

IMG_4516
La Seine

IMG_4522
Notre-Dame

IMG_4538
Pont Neuf

IMG_4612
Les Champs Elysées

IMG_4615
La Concorde

IMG_4619
La Madeleine

IMG_4654
La Tour Eiffel

IMG_4659