A República Checa e os cogumelos

Nesta altura do ano a natureza começa a preparar-se para o seu sono de inverno. Na Europa central o outono tem umas cores fabulosas. Começa nesta altura a transformar-se.

Ao percorrer os bosques, prestando bem atenção encontramos cogumelos. Ou a casa das fadas e duendes, como eu gosto de chamar.

Os vistosos, mas venenosos amanita muscaria

e os bons e deliciosos porcini, do géneros boletus. A apanha de cogumelos é um dos “desportos” favoritos dos Checos.

E com eles fazer pratos deliciosos, quer fritos com azeite, alho e cominhos, ou envoltos num polme, ou ainda panados.

Praga

Como já disse várias vezes é a minha segunda cidade. Mas é assustador a quantidade de turistas que invadem esta cidade. Já temos este fenómeno em Lisboa, mas aqui muito maior o número de outros povos que invadem a cidade.

Mas continua a ser uma cidade encantadora, de conto de fadas e do Rei Carlos.

O Castelo
A Catedral S. Vitos
A arquitetura – grafiti
Os pináculos
Os jardins
O rio Vtalva
O Teatro Nacional, ao longe
A ponte Carlos ao fundo
O Rei Carlos
Ao anoitecer

O País das Fadas 1

A Boémia foi, para mim, sempre um reino de príncipes e princesas. Mais tarde, conforme o conhecimento ia crescendo, de lindos cristais e cerveja.

No entanto o que prevaleceu foram os príncipes e princesas, talvez fruto das inúmeras histórias que li em pequena.

Até que conheci o meu príncipe.

E finalmente viajei pelas terras da Bohemia.

O ano passado visitamos Národní Park České Švýcarsko, em checo. Em português Parque Nacional da Boémia Suiça que fica a Noroeste de Praga, as uns 200 e poucos km.

Chama-se Boémia Suiça porque, contaram-me uns, no passado iam à Suiça buscar madeireiros para cortar as árvores e estas gentes acabaram por criar uma comunidade.

Chama-se assim, contaram-me outros, porque uns artistas suíços do século XVIII acharam esta região, da República Checa, muito parecida com a Suíça.

Para mim é o País das Fadas.

As casas de madeira! Só existiam, até então, nos contos que eu lia em pequena, como já disse.

A paisagem! A comida e as gentes ultra simpáticas que é, por agora, uma raridade entre as gentes checas.

Este Parque é totalmente coberto por florestas, mas são as formações geológicas as principais atrações do Parque , seguidas pela diversidade de animais e plantas. Uma natureza deslumbrante, canyons, torres gigantescas de arenito, riachos e miradouros. Isso sem falar nas vilas encantadas como Hřensko nas margens do rio Elba.


 Pravčická Brána  – o maior arco de arenito da Europa, Já foi cenário do filme Crónicas de Nárnia
 Pravčická Brána  – Em 1981 o Príncipe
Edmund of Clary-Aldringen construíu o hotel
Sokolí hnízdo (o ninho do falcão)

Como sempre, através do Booking.com, encontrámos Garden Hotel Mezná, no meio da floresta. Preços acessíveis e muito bem localizado e partir daí, a pé, barco de autocarro explorámos o Parque.

Jantámos na Penzion na vyhlídce, onde se podia dormir também, como o nome indica. Comida excelente e pessoal super simpático